InícioInício  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 Vilas Bruxas pelo mundo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Dumbledore
Admin
avatar

Mensagens : 221
Idade : 117

MensagemAssunto: Vilas Bruxas pelo mundo   Dom Out 14, 2012 3:54 pm

As Grandes Vilas Bruxas

Ruvkegilli, Suíça

Lema: Generose Puer Sic Itur Ad Astra (Por este caminho se vai aos céus)
Localização: Aos pés das Montanhas Escandinavas, com a fronteira com o rio Idalsälyen.
Ponto de Interesse: Antiga Universidade Noskor e a Reserva de Dragões Draconian.
Fundação: 01/01/1111
População: 52 bruxos e um minotauro.

História: Sua origem é desconhecida, provavelmente foi fundada entre o século III à V por um grupo de duendes que mineravam as montanhas. Os primeiros bruxos só começaram a chegar no final do século IX. Não existem muitos relatos, mas dizem que apesar do inicio pacífico começou a existir discórdia entre bruxos e duendes, resultando num conflito que terminou com a vitória dos humanos.

1º de Janeiro de 1111 é considerado o dia de fundação de Ruvkegilli, a cidade da mina. Ela rapidamente tornou-se uma cidade rica e vários bruxos da Europa vieram prosperar nela, tornando-a um poderoso feudo em pouco tempo. O bruxo Bo Skarsgard, um dos líderes da mina, torna-se o Senhor das Terras de Ruvkegilli.

A Família Skarsgard governa com punhos de ferro a vila durante trezentos anos, até que a Peste Púrpura, que matou milhares de bruxos por toda Europa, atacou seriamente a vila, reduzindo sua população pela metade e matando todos os Skarsgard.

É decidido então que seria necessário um Conselho Governante e assim ele é formado. Mesmo que o líder do conselho seja nomeado como prefeito, a maioria das principais decisões são tomadas por este grupo de cinco bruxos.

No final do século XIV, um bando de dragões começa a atacar a vila. Foi preciso a ajuda dos Apaziguadores, que criaram a Draconian, uma reserva florestal de onde tais dragões nunca mais poderiam sair. Ela faz fronteira com a vila e muitos moradores temem saber que, se um dia tal magia acabar, eles serão os primeiros alvos.

Outra grande mudança foi com o surgimento da Universidade Noskort, que foi criada numa excelente hora. Os mineradores haviam anunciado que a mina tinha secado, que todas as pedras preciosas tinham se esgotado e, com isso, a Universidade traria uma nova fonte de renda, um local de comércio para estudantes do mundo inteiro que viriam estudar ali.

Por volta do século XVII, temos um retorno dos duendes, incentivados pela Revolta que teve na Inglaterra. No entanto, assim como lá foi, fracassou, porém deixou uma sequela: o medo dos habitantes com uma possível futura vingança dos duendes, que nunca se realizou por inteira até 2006.

Vários fatos macabros assolaram a universidade, que atingiu profundamente a vila. Um deles foi a expensão do campo de proteção dr Draconian que isolou toda região do resto do mundo. Dentro dente campo ocorreu um conflito sangrento chamado "Batalha dos Fantásticos" que deixou dezenas de mortos. Quando tudo terminou, muitos da população de Ruvkegilli foram para pequenas cidades bruxas ou outras vilas bruxas pela Europa. Poucos ficaram e estes hoje lutam para tentar restaurar aquela que já foi a maior vila bruxa do norte europeu.

Fargowood, Maine, Estados Unidos

Lema: Pro luce in perpetuum contra obscurum malum (Eternamente pela luz contra o mal sombrio)
Localização: Estado do Maine, nos Estados Unidos
Ponto de Interesse: Campos de Tulipas.
Fundação: 1498
População: 600 bruxos.

História: Numa pequena região do Maine viviam tribos nativos-americanos, até que em 1498, o bruxo Vermont Fargo , ao desembarcar com uma tripulação trouxa no local, descobriu que naquela floresta viviam muitos animais mágicos, até mesmo centauros. Viu então a possibilidade da criação de uma casa para ele e sua família, que estavam sendo ameaçados na Europa por bruxos das trevas. Dessa forma, simulou sua própria morte e quando os trouxas zarparam para o continente europeu novamente, Vermont ficou. Construiu a primeira casa em meio à floresta densa do local (na região que hoje chamam de "Montanhas Brancas") e trouxe toda a sua família. Logo mais tarde, amigos mais íntimos e parentes mais próximos foram sendo convidados a morar na nova vila que Vermont logo batizou de Fargowood. Com visitas e pequenos ataques freqüentes dos nativos-americanos, foi necessário criar uma barreira para que os bruxos ali vivessem tranquilamente. Carter Lincoln, amigo próximo de Vermont, foi o idealizador do projeto. Junto a outros bruxos mais poderosos criaram uma ilusão para os trouxas. Eles podem atravessar o rio e entrar na floresta, mas são automaticamente desviados para outro caminho quando chegam no limite onde os animais mágicos habitam, impedindo, dessa forma, que consigam chegar até a cidade. Assim começou o que é hoje uma das cidades americanas bruxas mais famosas do mundo.

Séculos mais tarde, perceberam que aviões trouxas poderiam vê-los do céu, então resolveram este problema criando a ilusão de floresta fechada para quem olha de cima. Rodeada por uma floresta cheia de criaturas mágicas, só é possível entrar e sair de Fargowood com segurança através de Flu e aparatação. Muita gente já se perdeu na mata, principalmente crianças, por isso não é aconselhável que se tente sair ou entrar na cidade por ali.

Sobre a vila: Fargowood, mesmo tendo crescido muito com o passar dos séculos, ainda é uma cidade pequena e pacata. Tem sedes do Gringotes e da polícia bruxa americana, a MIB (Magic Investigation Bureau), além de algumas lojas famosas no mundo bruxo, mas a maior parte de seu comércio é composta por famílias da região mesmo.

A cidade é uma grande produtora de tulipas, com duas grandes plantações dessa flor e exportação mundial, tanto para os bruxos quanto para os trouxas. Geralmente, essa flor não consegue se desenvolver em solo americano, mas com ajuda da magia isso se torna possível.

Os estudantes de Salem vão e voltam com o ônibus escolar mágico todos os dias. O ônibus tem parada na praça central.

Anakauaokahokukahi, Havaí, Estados Unidos

Lema:
Localização: Estado do Havaí, Estados Unidos.
Ponto de Interesse:
Fundação:
População:

Sobre a vila: A vila bruxa fica em um lugar totalmente afastado das praias trouxas da ilha, e é cercada de magia por todos os cantos. Os trouxas, barcos, aviões e demais que passam pelos arredores da vila, a veem como uma área do oceano agitado, cheio de corais e pedras, sendo impossível navegar ou banhar-se nas suas águas. Para os habitantes do local a praia é calma e suas águas cristalinas. A temperatura da água mantem-se na maior parte do ano bastante agradável, mas pode ir aos extremos dependendo de quão frio ou calor o lugar se encontra.

Como característica peculiar a vila, todos os moradores moram em barcos. Para chegar em suas casas, os mesmos devem passar pela Passarela, já que, os barco-casas ficam afastados da praia, e dificilmente se consegue atravessar da praia as casas nadando, devido ao grande esforço necessário. Apesar de parecer perto, as casas são bem longes da praia. Quando a vila foi criada, a extensão de areia da praia era bem maior, e as casas ficavam bem próximas a praia, com o aquecimento global, os níveis do oceano aumentaram e por isso a praia foi ficando cada vez mais distante. Para não desanimar os moradores, o prefeito da vila, por magia, fez com que as casas sempre parecessem mais perto do que elas realmente estavam.

Ainda sobre as casas, vale ressaltar que muitas delas possuem quartos subaquáticos. Quando vista por cima do barco, as águas parecem bem rasas, devido ao mesmo feitiço ilusório que foi lançado sobre as casas, mas na verdade, a profundidade do oceano é bem maior do que se possa ver quando não se está dentro da água. Por isso, as casas que tem quartos subaquático podem desfrutar do prazer de ver corais, peixes, crustáceos e outros animais marinhos que habitam o oceano. Estes quartos possuem janelas de vidro revestido e reforçado com magia para a proteção dos mesmos. Vale a pena se lembrar que não é uma vila muito grande, possuindo poucos habitantes, diferentes das outras vilas mais próximas, que não são somente bruxas.

Ilha Nani 'aina, Havaí, Estados Unidos

Lema: Uwe ka lani, ola ka honua (Quando os céus choram, a terra vive)
Localização: Oceano Pacífico, próximo ao Havaí, Estados Unidos.
Ponto de Interesse:
Fundação: 1790
População: 110 bruxos.

Sobre a Vila: A Nani 'aina é uma ilha no meio do Oceano Pacífico, faz parte do estado do Havaí, nos Estados Unidos, porém, os trouxas desconhecem sua existência, sendo uma ilha completamente bruxa. Seu nome, que na língua havaiana significa algo como Bela Terra, dispensa qualquer outra explicação.

É provavelmente um dos lugares totalmente bruxos menos afetados pela "trouxalização", seus habitantes ainda são fortemente ligados à cultura havaiana bruxa, e alguns - a maioria - possuí certo preconceito pelos chamados haoles - palavra usada para descrever uma "pessoa branca", o forasteiro, alguém que não nasceu no Havaí principalmente (pode ser usada como um insulto ou simplesmente um fato, dependendo de como você a diz).

Isso não significa que visitantes ou turistas sejam proibidos de entrar na ilha, há alguns anos a prefeitura percebeu a necessidade de tentar transformar seus habitantes em pessoas mais pacíficas quanto aos haoles, e a ilha um pouco mais turística. Os havaianos mais velhos e os membros das famílias mais antigas, porém, mantêm-se fortemente contra essa "invasão".

Mesmo com a abertura da ilha às pessoas de fora, pouco se mudou em relação à forma de vida um tanto quanto primitiva. Possuí uma área de 179,9 km², e o pico mais alto tem 381 metros de altura. A ilha consiste de um vulcão extinto que teve um deslizamento de terra grande para o Leste.

As casas dos moradores ficam espalhadas por toda a extenção da ilha, a maioria bem próximas das praias, mas sem possuir uma área mais residencial, e uma pequena área comercial foi criada para os visitantes terem o que fazer.

Nani 'aina é dividida em duas principais áreas geográficas. A metade ocidental baixa é muito seca, carece de cobertura do solo significativa e praticamente toda a seção está coberta de árvores Kiawe (Prosopis pallida) não-nativas, nessa área também estão as dunas. A metade ocidental da ilha é seca e árida. A costa norte e a costa oriental são espetaculares, com encostas íngremes e florestas que são praticamente impenetráveis.

Há diversas espécies de aves na ilha, que oferece um habitat próspero para elas e também para a criticamente ameaçada foca-monge do Havaí, que é encontrada em grande números nas praias de Nani 'aina. Algumas espécies de mamíferos que são comumente encontrados pela ilha são o Oryx, o Elande, o Carneiro-da-Barbária, Javalis e as Ovelhas Selvagens, esses animais existem em grandes rebanhos e proporcionam muita caça, que é livre na ilha.

Há certa de 110 bruxos na ilha, a maioria são havaianos nativos, descendentes dos Holokai ou dos Mahina, os primeiros a viverem na ilha com suas famílias e dois grandes rivais. Uma parede de pedra dividiu a ilha e marcou os limites dos dois chefes, as terras XX, identificadas por pedras pretas e XX, por pedras brancas. Os dois chefes e suas "tribos" batalharam, várias vezes, e até hoje há uma grande rivalidade entre eles. Mahina perdeu a maior de todas e foi banido para o extremo sul da ilha, enquanto os Holokai moveram-se para o centro para governar. Kaeo, dos Holokai, casou-se com XX, uma bruxa branca, trazendo a miscigenação para Nani 'aina (e também a unificação com as demais ilhas, tornando-se parte do Reino unificado do Havaí), que foi mal vista por seus próprios familiares.

Até hoje os dois grupos se culpam e tentam acertar as contas do que acontecem há muitos anos em Nani 'aina. Alguns Kaeokulani se juntaram aos Kawaihoa em laços matrimoniais, alguns Mahina desistiram das guerras e tentam viver em paz, mas há ainda muito o que mudar. Os dois grupos possuem grande diferenças entre si, os Mahina tem uma ligação muito forte com a cultura havaiana e são mais rigosos, a maioria fala apenas a língua havaiana e são os que menos aceitam os haoles na ilha, dificilmente encontra-se um Mahina que não seja nativo, diferente dos Holokai, que são um pouco mais abertos, possuem o Inglês como idioma principal e governam a ilha até hoje.

Como em quase todo o Havaí, a música havaiana proporciona um papel muito importante em Nani 'aina, o ukulele é quase onipresente entre os habitantes da ilha, assim como a Hula.

São Cipriano das Varinhas, Minas Gerais, Brasil

Lema: Non male sedit qui bonis adhaerit (Chega-te aos bons e serás um deles)
Localização: Vale na Serra Mantiqueira, Minas Gerais, Brasil.
Ponto de Interesse: Cachoeira da Meia-Sereiana.
Fundação: 16 de setembro de 1707
População: 550 bruxos.

História: Fundada em 1707, pelo bruxo português Henrique Portela. A ideia era fugir das perseguições na Europa, e terem uma vida tranquila no novo mundo. Fica à 10 km da famosa cidade trouxa de São Thomé das Letras, no estado de Minas Gerais, e por causa da visita de bruxos a tal cidade, além de animais fantásticos que foram trazidos e atraídos para região, que todo o local tem fama de ser místico e sobrenatural.

No começo dos anos de 1800, houve uma dissidência, principalmente pelo lado dos poucos bruxos de origem nativo-brasileira que resolveu ir para o litoral. Anos depois, alguns bruxos europeus também iriam para a outra nova vila, chamada de Apuan.

A vila não é tão maior quanto era no século XVIII, cresceu um pouco por volta dos anos 1910 e 20 por causa da chegada massiva dos bruxos italianos. Enquanto os poucos bruxos ingleses que vieram se estabeleceram em Recife e Santos. Já os bruxos alemães ficaram no sul do país.

De qualquer forma, São Cipriano é considerado o principal centro comercial mágico do Brasil. E político até os anos 60, quando a “Secretaria do Estado dos Assuntos da Magia e dos Bruxos ”, tornou-se “Ministério da Magia” , mudando de sede de São Cipriano para São Paulo, com uma pequena sede em Brasília.

Na cidade, as maiorias das casas ainda são de tijolos e madeira. As ruas são de pedras, e tudo é bastante arborizado.

Apuan, Rio de Janeiro, Brasil

Lema:
Localização: Ilha Grande, Rio de Janeiro, Brasil.
Ponto de Interesse: Pousada Carioca.
Fundação: 1812
População: 300 bruxos.

História: Antigamente os bruxos eram chamados pajés no Brasil. Em 1812 o pajé Peri saiu de Minas Gerais com sua família e foi morar no Rio de Janeiro, mais precisamente em Ilha Grande. No início era só ele e a família, mas a vila foi aumentando aos poucos, famosa por sua tranquilidade e também pelos ensinamentos do pajé.

Os portugueses foram os próximos a chegarem até o local, que já tinha sido batizado por Peri de Apuan, derivado da língua tupi que pode significar "monte", "arredondado" ou "dedo polegar". Foram então alguns índios, portugueses e mais tarde pouquíssimos italianos que constituíram a formação da vila.

O vilarejo de Apuan costumava ter como entrada apenas um arco com proteção anti-troxas, mas quando a ilha começou a ser mais povoada e com a criação de um presídio na mesma, o conselho da vila teve a ideia de forjar uma saída do presídio no local que continha também feitiços de confundir e outros mais que faziam os trouxas terem vontade de se afastar do local rapidamente.

É uma vila pequena e aconchegante, possuindo aproximadamente 300 habitantes, sendo todos bruxos de puro sangue, com costumes tradicionais. É um ponto de turismo bastante visitado, apesar disso, por bruxos do mundo inteiro.

O acesso ao local normalmente é feito por barco, mas também pode ser utilizada a aparatação ou a entrada a pé. Não há sistema de Flu na vila.


Última edição por Dumbledore em Sex Out 19, 2012 3:13 pm, editado 9 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://wwpedia.forumeiros.com
Dumbledore
Admin
avatar

Mensagens : 221
Idade : 117

MensagemAssunto: Re: Vilas Bruxas pelo mundo   Sex Out 19, 2012 10:38 am

Outras Vilas Bruxas


Village D'Enchan-Loire, França

Naïlo Ville, Irlanda

Nissim, Israel
Em Israel não existe uma vila bruxa, mas tem um grande Kibultz, o Nissim. Lá bruxos vão dias antes do começo da aula e ajudam a comunidade, começam aprender hebraico, e onde também conseguem comprar o material que usarão na escola. É costume no quinto ano até o final passar as férias inteiras no kibultz para trabalhar na comunidade.

Tanto o Nissim quanto a escola Hertzl estão numa parte desértica próxima às Colinas de Golã. O local é conflituoso pois não fica em território de Isreael, mas numa parte ocupada na Síria. No entanto, estes são problemas trouxas que não interferem na vida bruxa local.

Zerzura, Egito
Localizada em um oásis, a vila bruxa é pequena e encantada. Trouxas que passem por lá vêem apenas areia e tempestades de areia criadas por feitiços ilusórios os mantém afastados. Nas margens do lago há algumas lojas, todas rústicas. A vila não possui moradias, apenas comércio.

Agouim Najarim, Marrocos
Agouim Najarim é o nome da única kasbah bruxa do mundo, uma cidade construída nas pedras da montanhas da Cordilheira de Atlas.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://wwpedia.forumeiros.com
 
Vilas Bruxas pelo mundo
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Mundo :: Atlas-
Ir para: