InícioInício  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 Ocanepiacaba

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Dumbledore
Admin
avatar

Mensagens : 221
Idade : 117

MensagemAssunto: Ocanepiacaba   Sex Ago 19, 2011 11:57 am

Academia Ocanepiacaba para Jovens Bruxos


História

Os bruxos indígenas brasileiros nunca tiveram escolas, cada aldeia tinha um pajé (como chamavam os bruxos) que ensinava seus poderes para os pequenos pajés de seu povado. Mas com a chegada dos bruxos portugueses, algumas coisas mudaram. No começo, eles iam de caravelas estudar na Europa, mais precisamente em Beauxbatons. Mas foi Jacques Beaumarchais, um bruxo colono em Maranhão que resolveu fazer uma escola bruxa pequena para os que viviam naquela região. Em 1621 a escola foi criada e chamada de Beauxbatons Équinoxiale, nada mais que um casarão para 20 bruxos. Ela não durou muito, quando os holandeses trouxas invadiram a vila de "Saint Louis", expulsaram os franceses e com isso a escola foi fechada.

E durante duzentos anos o Brasil novamente ficou sem escola, e foi só ter em 1830, após alguns membros do Conselho do Bruxo Português se mudarem para o Brasil. Já existia algum tempo uma vila mágica na Capitania de Minas Gerais, chamada São Cipriano das Varinhas, e lá construíram um enorme casarão que se tornaria a segunda escola brasileira, o Colégio dos Meninos Bruxos. Nele eram aceitos apenas meninos, mesmo que usassem como base Beauxbatons que naquela época já era uma escola mista. Também era dívida em três casas: Fracta, Auctor e Notus. Além disso a escola era um grande orgulho dos bruxos portugueses que chegou até a receber jovens bruxos do reino.

E durante muito tempo o Colégio dos Meninos Bruxos foi a grande escola brasileira, mas por volta de 1955, ocorreram vários problemas: 1. Era preciso abrir vagas para as meninas. 2. O colégio estava próximo das cidades trouxas de Três Corações e Varginha. 3. A casa de Auctor teve vários casos de bruxos das trevas, chegando a ter conflitos mortais com bruxos da Fracta. 4. Haviam bruxos indígenas que não adequavam seus aprendizado tradicionais com os ensinados na escola. 5. A escola era considerada muito européia, sendo preciso criar raízes brasileiras.

Então dois bruxos conseguiram o apoio do Ministério da Magia Brasileiro, Tadeu Alcantara e Edgar Magalhães Sá tiveram a idéia de construir uma nova escola, menos européia e mais brasileira, longe de qualquer contato trouxa, trazendo antigas tradições indígenas e, principalmente, aberta à todos. Assim, criaram a Academia Ocanepiacaba para Jovens Bruxos no meio da Amazônia. E fizeram com tanto sucesso, que hoje é uma grande e respeitada escola bruxa.

Admissão
Os Bruxos e Bruxas do Brasil entram para Ocanepiacaba com 11 anos, normalmente em Dezembro recebem a visita de uma Arara Azul, maior do que a maioria das aves dessa espécie, elas trazem consigo uma carta convidando o jovem à ingressar na Academia Ocanepiacaba para Jovens Bruxos. No Brasil é difícil um bruxo já não saber de seus poderes e não conhecer o mundo da magia, são poucos no país e suas famílias são antigas, descendentes dos bruxos estrangeiros que vieram para cá.

Eles recebem também uma lista de materiais, onde eles vão no começo de janeiro para São Cipriano das Varinhas fazer as compras. No entanto, diferente das outras escolas livros não são pedidos, os alunos usam os da biblioteca. E também o uniforme que é vendido na própria escola. Além disso também não é permitido levar animais de estimação já que cada tribo tem um oficial.

Acesso e localização

A escola fica escondida no meio da floresta Amazônica, próximo as margens do rio Juruá, um dos afluente do Amazonas. A escola não é um castelo e sim um conjunto de grandes casarões circulares de madeira interligados por pontes.

O acesso é através de um trem.

Tribos

Os alunos são divididos em Tribos, são 20 ao todo, cada uma possuí um símbolo, o ritual de seleção é feito na noite em que os alunos chegam na escola, no começo de Fevereiro de todos os anos. Uma grande fogueira é montada em uma clareira no meio da floresta, todos os professores ficam em um semi-círculo de um lado dela, cercados por um grande círculo de todos os estudantes e os novos alunos entram um à um na roda, uma canção é entoada por todos, como um mantra, sem letra. O diretor então faz um breve discurso pedindo para que ouçam o bater do coração do jovem aprendiz, para que ele seja selecionado pela tribo que for melhor para ele. Então algo é jogado na fogueira, uma espécie de poção feita de plantas da região, a fogueira aumenta e uma fumaça colorida sai dela, indo na direção do aluno e o envolve, segundos depois ela muda de cor para a da tribo em que ele foi selecionado.




Diretor: Gabriel Amado


Última edição por Dumbledore em Qua Nov 23, 2011 4:16 pm, editado 6 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://wwpedia.forumeiros.com
Dumbledore
Admin
avatar

Mensagens : 221
Idade : 117

MensagemAssunto: Re: Ocanepiacaba   Qui Set 29, 2011 4:24 pm

Mais sobre as tribos

Abaquaruna (Senhor Negro do Vôo)

Os elementos desta tribo amam voar. São aqueles que não tem medo dos céus. Costumam pentear o cabelo para trás, e usarem longas capas negras sobre o uniforme. Mas apesar do nome não tem nada relacionado com as trevas, e são jovens divertidos e alegres, e um pouco avoados literalmente.

Cor: Preto e branco
Mascote: Nhõ Preto, uma enorme graúna.
Tenda: Eles gostam de manter suas vassouras por perto, por isso todas ficam flutuando próximas ao teto.
Grito: Pode ventar, pode chover. Tribo Abaquaruna vai sempre vencer. Tribo Abaquaruna!
Curiosidade: É a única das tribos que formam um único time para competição de trancabola.

Aimara Tinga (Árvore Branca)

São exploradores e amam estar no meio da natureza. Se quiser encontrar um elemento desta tribo procurem empoleirado em alguma árvore e lá estão eles, dormindo, relaxando ou lendo algo. Também gostam de explorar até os limites da escola, se metendo papa dentro da floresta. Talvez por isso sempre perde pontos por estar com o uniforme rasgado e sujo, mas eles não ligam muito para isso.

Cor: Verde e branco
Mascote: Anhangá, um macaco-prego.
Tenda: No meio da tenda nasce um enorme cajazeiro, a tradição diz que todos os monitores devem ter o nome ali esculpido.
Grito: Bruxos sempre unidos. Com as varinhas à caçar. Aventura e emoção, Aimara Tinga veio pra arrasar. Tribo Aimara Tinga!
Curiosidade: Junto com a Jaguarajubá nunca ganhou nenhuma Competição Anual.

Airumãnham (Estrela que corre)

É a tribo da paz e amor. Seus elementos gostam de longas conversas que a maioria tende para assuntos filosóficos ou até sem-sentido. São amantes de artes alguns, principalmente dança, alguns lutam capoeira. Nunca estão de mal-humor.

Cor: Azul e preto
Mascote: Frouxo, uma coruja Buraqueira.
Tenda: Possuem um teto enfeitiçado que só fecha quando chove, todos dormem vendo o céu estrelado.
Grito: No azul do céu uma cor à brilhar! A Tribo Airumãnham está sempre a ganhar! Tribo Airumãnham!
Curiosidade: É a tribo que teve a maior concentração de vidente de toda escola. Maioria dos bruxos brasileiros que possuem a visão eram da Airumãnham.

Anhãpuca (Dentes Barulhentos)

Dizem que todos membros da Anhãpuca são bipolares, uma hora estão fofocando e bagunçando, outra estão bravos e furiosos. Mas nos ambos estados, eles são falantes, muitos falantes. Estão sempre dizendo o que pensam, estão sempre exibindo suas ideias, e continuam falando, sem parar.

Cor: Branco e vermelho
Mascote: Gargalha, um Uacari vermelho.
Tenda: Existe 18 vitrolas espalhadas na tenda com discos de música bruxa, e as vezes elas tão todas tocando músicas diferentes.
Grito: Olho com olho, dente com dente, tribo Anhãpuca sempre a frente! Tribo Anhãpuca!
Curiosidade: Uma tradição da escola é "Se precisar saber de algo procure alguem da Anhãpuca", além de saber, eles estarão felizes em contar.

Amanalu (Chuva de Espinhos)

Eles são bem conservadores, alguns diriam que são medrosos. Alguns possuem TOC, e tudo deles está sempre arrumado. Uma história deles que sempre passa frente é "Logo virá a chuva de espinhos", que significa se não fizeram as coisas como devem ser, logo tudo dará errado.

Cor: Preto e verde
Mascote: Fofinho, um Ouriço-cacheiro.
Tenda: Todas as pilastras das tendas estão cobertas por uma erva daninha extremamente espinhosas.
Grito: O que somos: Amanalu. O que somos: Amanalu. Lutar, vencer e enfeitiçar, Tribo Amanalu sempre mágica está. Tribo Amanalu!
Curiosidade: Eles tem um colar cheio de espinhos, andam para lembrar da temível chuva de espinhos.

Capotira (Flor do Mato)

É a tribo dos vaidosos, dos belos, dos esnobes, dos maldosos. Normalmente é composta apenas por meninas, e teve épocas que só tiveram meninas nesta tribo. Uma tradição entre seus membros é nunca deixar o cabelo na cor natural, sempre usando poções para pintar e normalmente de cores não naturais.

Cor: Vermelho e verde
Mascote: Narciso, um beija-flor.
Tenda: É uma casa extremante florida e perfumada. Belas flores nascem em todos os cantos da tenda.
Grito: O feitiço é certeiro, a poção é fatal, a garra e a lealdade é o nosso ideal. Tribo Capotira!
Curiosidade: A Monitora pesa constantemente seus integrantes, se alguma passar do peso ideal, à ele é imposto um regime controlado pelos outros integrantes.

Etá Essas (Muitos Olhos)

Alguns dizem que eles são timidos por estarem sempre quietos, mas na realidade são observadores, gostam de sempre analisar bem qualquer situação antes de agir, e por isso são ótimos diplomatas. Nunca existe brigas na tribo Etá Essas pois eles sempre analizaram a situação e já tem soluções para estes.

Cor: Azul e Verde
Mascote: Maria, uma Mariposa olhos de coruja.
Tenda: Fotografias tem várias espalhadas pela tenda, milhares, algumas já tem décadas.
Grito: No meio da mata seus olhos a brilhar. Tribo Etá Essas sempre vencerá. Tribo Etá Essas!
Curiosidade: Muitos deles são habilidosos legiminêns, tendo facilidade para aprender esta arte.

Ibiandirá (Morcego de Terra)

Tribo dos sinistros, se existisse algo referente aos bruxos, diriam que eles são góticos. Vestem de preto, usam maquiagens pesadas como lápis e sombra nos olhos, batons escuros. Gostam de heavy metal e suas variações e estão sempre ouvindo. Alguns os consideram deprimentes, e outros estranhos. É normal dizer que todos são homossexuais, mas não é verdade.

Cor: Marrom e preto
Mascote: Zé Vampiro, um Morcego Pescador.
Tenda: Nunca entra luz ali, está sempre escuro e assim que eles gostam.
Grito: De dia dormimos, a noite acordamos, tribo Ibiandirá a todos ajudamos. Tribo Ibiandirá!
Curiosidade: São os melhores nas Defesas contra as Artes das Trevas, não tem nenhum que tira uma nota mínima alem do máximo.

Ibirápira (Peixe de Madeira)

É a tribo que se mantém mais afastada dos outros, não por quererem, mas por serem muitas vezes mal-compreendidos devido ao seu jeito. Todos possuem convicções fortes e acreditarão até o fim naquilo. Mudar a opinião de um apapá é algo de grande mérito. E, por serem defensores tão grandes de suas causas, acabam se exaltando demais durante discussões e, mesmo sem ter a intenção, acabam parecendo grosseiros. Dentro da própria tribo, é normal ouvir grandes discussões sem fim e algumas brigas. Integrantes dessa tribo já foram proibidos de falarem um com o outro por terem opiniões completamente opostas.

Cor: Branco e marrom
Mascote: Bocudo, um Apapá.
Tenda: Quando as discussões dentro da tenda começam a ficar intensas demais, um feitiço silenciador é lançado nela e todos que estão lá dentro perdem suas vozes.
Grito: Somos quem somos e vocês tem que saber, esse é o jogo dos Ibirápira, nós não vamos perder! Tribo Ibirápira!
Curiosidade: É a tribo dos tatuados, nenhuma tribo tem tantos integrantes com tatuagens quanto esta.

Iguará (Agua Vermelha)

Aparentam ser tranquilos, mas basta um toque para desencadear uma reação que costuma se alastrar pelo grupo - eles sempre estão em grupos. São os mais ferozes e violentos da escola, vivem se metendo em confusão, mas sempre que chamados a atenção apresentam uma enorme calma e não questionam sobre o castigo. Dizem que só o som de um riacho corrente é capaz de acalmar um Iguará.

Cor: Vermelho e azul
Mascote: Pirá, uma piranha
Tenda: Possui um rio corrente no seu interior, musgos azuis e algas vermelhas vivem no seu interior, assim como piranhas.
Grito: O sangue em nossas veias que impulsam sem parar com a força do trovão chegamos pra ficar. Tribo Iguará!
Curiosidade: A maioria dos alunos desta casa comem a carne muito mal passada - praticamente crua.

Iracoaraci (Sol de Mel)

Estes são a tribo mais radiante. Mas se chover, eles podem ficar um pouco mal humorados. Amam o sol, o calor dele e todos eles tem uma tradição entre si: pintar o cabelo de um loiro vivo que lembre o sol. Alguns pedem ajuda aos Capotira sobre poções. Outras tribos costumam dizer que eles tem uma espécie de aura de felicidade, quem estiver perto deles se sentirá bem.

Cor: Amarelo e Marrom
Mascote: Brilhante, um Mico Leão-Dourado.
Tenda: Suas janelas são enfeitiçadas para que durante a noite e dias de chuva, sempre parece estar um dia lindo lá fora.
Grito: Como aurora percussora do farol da divindade, tribo Iracoaraci defensora da igualdade. Tribo Iracoaraci!
Curiosidade: Portam um colar em forma de sol que ao olhar parece conter chamas leves, com ele, nunca sentem frio.

Irupé Guaçu (Grande Vitória Régia)

Orgulhosos, esnobes, todos são Sangue-Puros, mas isso não o principal, o que importa entre eles é a riqueza e poder. Todos sempre esnobam de alguma forma como são ricos. Andam com as roupas impecáveis, as meninas usam sempre joías e estão sempre maquiadas. Seguem etiquetas refinadas, levando seus próprios talheres de prata nas refeições.

Cor: Verde e branco
Mascote: Barão, um grande sapo Cururu.
Tenda: Tudo é muito luxoso. Camas são king size para cada um. Seus armários e baus são da melhor madeira. Além de colunas de mamore.
Grito: Fogo na varinha, fogo no caldeirão, Tribo Irupé Guaçu sempre em ação. Tribo Irupé Guaçu!
Curiosidade: Dizem que é única tribo que expulsa alguém, e normalmente é quando a familia do membro entra em falência.

Itacauã (Gavião de Pedra)

São competidores, estão sempre querendo serem o melhor em algo, mas cada membro desta tribo decide o que quer ser melhor: o melhor em poções, o melhor no trancabola, o que pega mais garotos. Não importa, todos eles são o melhor, o vencedor, de algo. Além disso adoram uma aposta, então sempre querem apostar algo para vencerem.

Cor: Marrom e vermelho
Mascote: Imperador, um gavião-real.
Tenda: Suas camas são de vários andares, sendo oito andares. Quanto mais velho mais alto dorme.
Grito: Gavião vai voando, pousou com inteligência, tribo Itácauã têm experiência. Tribo Itacauã!
Curiosidade: Eles não cortam o cabelo durante os anos da escola. E apenas no ultimo ano eles cortam bem curto.

Jaguarajubá (Cão Amarelo)

É a tribo mais travessa de toda Ocanapiacaba, estão sempre pensando em alguma travessura ou peça. Quase a tribo inteira está de castigo, diariamente. No entanto, são excelentes em feitiços, talvez os melhores, é quase um dom natural. E também estão sempre de bom humor, rindo, fazendo piadas e zuando um ao outro. Todos os Jaguarajubá tem um apelido.

Cor: Amarelo e branco
Mascote: Jecá, um cão vira-lata.
Tenda: Tem uma sala de troféu onde guardam uma "lembrança" que representa as grandes travessuras.
Grito: Em qualquer lugar, com agitação, a nossa tribo será sempre animação! Tribo Jaguarajubá!
Curiosidade: Existe um ritual logo que entram na tribo, eles tem que pregar uma grande peça em alguém de outra tribo. O valiar da peça irá definir o quanto o membro será respeitado pelos outros da Jaguarajubá.

Pypora Yawara (Pegada de Jaguar)

Os alunos desta casa são viciados em esportes. Geralmente sabem tudo, sobre todos, desde trancabola até quadribol. Se dão muito bem com os Abaquaruna, formando quase uma irmandade com eles. Não são muito inteligentes, em sua maioria, mas sempre são fortes e corpulentos.

Cor: Amarelo e preto
Mascote: Furioso, um jaguar.
Tenda: Espalhados por todos os lados tem pesos e equipamentos bruxos de malhação e exercícios físicos.
Grito: Um rugido vamos dar, muita força para mostrar, magia esperta pra valer, Pypora Yawara vão vencer. Tribo Pypora Yawara!
Curiosidade: Como tradição da tribo, os alunos correm todos juntos pela manhã pelas trilhas em volta da escola e, no final da tarde, malham.

Ruypy (Primeira Folha)

Se alguém tem uma idéia fixa, uma meta de vida ou um motto muito forte, ele provavelmente irá para a Ruypy, são os mais persistentes, os que buscam e realizam todos os seus objetivos pela grande força de vontade que possuem. As outras pessoas costumam achá-los um pouco cansativos, por terem que ouvir o tempo todo como o que eles acham é o mais certo, não há como dizer o contrário, mas os Ruypy apenas querem o que acham que é o melhor para eles e também para o resto do mundo, mesmo que de maneira um pouco exagerada.

Cor: Verde e branca
Mascote: Pilantra, um tamacuaré.
Tenda: Possuem milhares de pergaminhos, papeis, livros, penas e tintas. Estão sempre escrevendo suas ideias para discutir depois.
Grito: Da semente germinada, um ideal floresceu. Da vontade e experiência a Ruypy nasceu. Tribo Ruypy!
Curiosidade: O primeiro de cada seleção todo ano vai para esta tribo.

Saúvayami (Formiga da Noite)

São trabalhadores, são hiperativos, estão sempre fazendo algo. Gostam de trabalhos manuais principalmente aqueles que envolve terra, como vasos de argilas. Além disso gostam de horários, tem um cronograma para tudo. Tabelas de deveres e funções, tudo bem rígido. Eles nunca estão atrasados ou adiantados, estão sempre na hora.

Cor: Vermelho e preto
Mascote: Um enorme formigueiro está dentro de uma caixa de vidro.
Tenda: Ela está sempre modificando, as vezes tem uma parede nova, um andar aparece, e desaparece. Um quarto surge e outro some. A tenda está sempre em reforma, os integrantes da tribo nunca estão satisfeitos.
Grito: No escuro, na solidão, em qualquer ocasião sempre prontos para praticar uma boa ação. Tribo Saúvayami!
Curiosidade: Não são muito falantes, e a maioria desconfia deles por sempre falarem entre si com gestos e trocar de olhares.

Tauamere (Fantasma da Fumaça)

Os membros desta tribo adoram dar palpite sobre tudo, sendo realmente espertos e eficientes, não usando apenas lógica, como também imaginação, sendo considerados um pouco sonhadores e desligados pelos demais e sempre subestimados por todos. Também são amantes da atuação, e adoram intepretar personagens, estão fingido sempre ser alguém.

Cor: Preto e Cinza
Mascote: Gaspar, um uacari-branco.
Tenda: A tenda deles é invisível para qualque rum que não saiba qual feitiço usar para revelar sua localização.
Grito: Usando inteligência e imaginação, tribo Tauamere sempre em ação. Tribo Tauamere!
Curiosidade: A tribo se alimenta de frutas, sementes, brotos e animais, como pássaros e lagartos pequenos, sendo uma regra não se alimentar outros animais além desses, por acreditarem que se alimentando de pássaros, eles terão sua liberdade e leveza, e ao comer a carne de lagartos, poderão se adaptar como tais a basicamente qualquer lugar e condições.

Yatatá (Lua de Fogo)

Acreditam que o amor é o que importa e nunca brigam, sempre fazendo reuniões para resolver qualquer tipo de problema. São justos e sinceros e costumam dizer que todos somos iguais, independentes do seu exterior, de sua classe social, sangue, sua cor de pele ou sua sexualidade. Mas a principal característica deles é que é impossível ver um Yatatá solteiro ou que não esteja com enorme paixão por alguém.

Cor: Branco e Vermelho
Mascote: Araci, uma Arara-Vermelha.
Tenda: Existe apenas uma grande cama, um grande colchão onde todos dormem juntos.
Grito: No alto do céu; no meio da noite; o brilho vai chegar, para todos despertar! Tribo Yatatá!
Curiosidade: Todos os integrantes da tribo Yatatá usam 3 pequenos cristais alinhados verticamente na testa, logo acima do nariz.

Ybytucatú (Vento Bom)

Como o nome diz são os bonzinhos da escola, são aqueles que nunca fazem nada errado. Na história de Ocanapiacaba nunca um membro desta tribo foi para castigo. Sempre querem ajudar os outros. São ótimos jogadores também de tracobola.

Cor: Azul e branco
Mascote: Juca, um João de Barro.
Tenda: É a única tenda que não tem camas, os membros dormem em redes.
Grito: Avança! Avança! E nunca engana! É Ybytucatú no céu e bruxo aqui na terra! Tribo Ybytucatú!
Curiosidade: Uma brincandeira, mas alguns dizem que é tradição, é os membros da Ybytucatú nunca pentearem o cabelo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://wwpedia.forumeiros.com
Dumbledore
Admin
avatar

Mensagens : 221
Idade : 117

MensagemAssunto: Re: Ocanepiacaba   Sex Nov 18, 2011 1:43 pm

Turma de 1997 à 2004
Pypora Yawara - Bruno Dalcin Gobbo

Turma de 1998 à 2005
Solfa - Odélia Kurt Bohrer Angelie (partir do 3º ano)
Anhum - Victor (NPC de Noskort)

Turma de 2003 à 2010
Anhum - Thomas Andrade Callegari

Turma de 2024 à 2031
Iracoaraci - Daniela Bastos
Jaguarajubá - Pedro Henrique Ferreira
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://wwpedia.forumeiros.com
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Ocanepiacaba   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Ocanepiacaba
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Escolas :: Outras escolas-
Ir para: